NOTÍCIAS

Fertilizantes com aminoácidos garantem maior absorção

14/12/2017

Pesquisas demonstraram que quando um nutriente é complexado ou quelatizado com aminoácido, há uma maior penetração na membrana cuticular e maior velocidade que o previsto por difusão simples, sugerindo assim que os aminoácidos possuem propriedades promotoras de permeabilidade, existindo grandes vantagens de utiliza-los juntamente com nutrientes.

Os aminoácidos são metabolitos primários das plantas, constituintes das proteínas. Para a síntese de proteínas, aminoácidos individuais são acoplados por ligações peptídicas.

Embora as plantas possam conter mais de 300 aminoácidos diferentes, apenas 20 são necessários para a síntese de proteína, quais sejam: fenilalanina, tirosina, triptofano, hidroxiprolina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, ornitina, alanina, arginina, aspartato, asparagina, cisteína, glutamato, glutamina, glicina, prolina e serina.

A importância dos aminoácidos para as para as plantas está ligada aos metabolismos primário e secundário. Há aminoácidos que são preponderantes na composição das proteínas vegetais, como metionina, lisina, glicina e acido glutâmico.

Há, também, funções particulares, em que aminoacidos específicos estão presentes, como, por exemplo, a glicina está presente na formação da clorofila, o ácido glutâmico é um aminoácido-chave no crescimento e funcionamento dos meristemas e na frutificação, a prolina e a hidroxiprolina são responsáveis pela fertilidade do grão de pólen e pela consistência das paredes celulares, a asparagina e o glutamato promovem a conexão entre o ciclo do carbono e do nitrogênio nas plantas, influenciando a síntese de açucares e de proteínas, entre outros.

Os aminoácidos são considerados aditivos pelo MAPA e têm seu uso aprovado em fertilizantes em geral como estabilizantes da formulação.

 

Tendência

O uso destes produtos em pulverizações foliares está se tornando cada vez mais frequente, embora haja controvérsias quanto a absorção pelas plantas, pois os resultados apresentados na literatura científica existentes não são consistentes, talvez em função do reduzido numero de trabalhos publicados. No entanto, há citações de que plantas podem absorver aminoácidos pelas raízes e pelas folhas.

Os aminoácidos podem formar complexos com cátions, como Ca, Mg, K, Zn, Cu, Mn e Fe, protegendo-os e aumentando sua disponibilidade para as plantas. Segundo Castro (2008), a utilização de aminoácidos na agricultura tem sido praticada por várias décadas, no Brasile no mundo, em diversas culturas. O número de empresas ofertando no comércio uma ampla gama de produtos à base de aminoácidos vem aumentando consideravelmente.

O mesmo aturo ainda alerta a respeito das controvérsias sobre a utilização de aminoácidos na agricultura, uma vez que a aplicação isolada dos mesmos raramente tem mostrado efeitos significativos na produtividade vegetal.

 

Responsabilidades do aminoácido

Diversas hipóteses são atribuídas aos aminoácidos, tendo como principais funções:

  • Síntese de proteínas;
  • Compostos intermediários dos hormônios vegetais endógenos;
  • Efeito quelatizante em nutrientes e outros agroquímicos;
  • Maior resistência ao estresse hídrico e à alta temperatura;
  • Maior resistência ao ataque de pragas e doenças.

Ainda segundo Castro, os aminoácidos podem ser enquadrados no grupo de antiestressantes, compostos capazes de agir em processos morfológicos do vegetal como precursores de hormônios endógenos ou como ativadores de enzimas e da disponibilização de compostos capazes de promover tolerância a estresses.

As plantas conseguem absorver os aminoácidos tanto pelas folhas como pelas raízes. Esta capacidade permite-lhes tirar partido de aplicações foliares ou via rega, que lhes propiciam um desenvolvimento rápido e com menor consumo energético  do que o necessário para o processo de síntese.

 

Efeitos

Os efeitos mais espetaculares dos aminoácidos são obtidos quando a aplicação do produto ocorre em situações climatológicas adversas (seca, geadas, asfixia radicular, temperaturas noturnas muito baixas por períodos prolongados, etc.), ocorrência de fitotoxidades diversas causadas por aplicações errôneas de fitossanitários, e ainda em circunstâncias de ataques de pragas e doenças.

Em situações de crescimento e produção, as aplicações foliares são preferíveis, pois proporcionam uma resposta mais rápida, com incorporação e translocação na planta de até 25% do produto aplicado nas primeiras 24 horas.

Nas fases de plantio, é aconselhável a aplicação ao solo para favorecer o enraizamento.

 

Respostas

As melhores respostas de utilização de aminoácidos têm sido em situações de estresses bióticos, como as relacionadas ao ataque de pragas e doenças, e abióticos, como desordens nutricionais, deficiência hídrica, estresse térmicos e relacionados à aplicação de defensivos químicos. Em especial  herbicidas.

A aplicação do aminoácido antes, durante e após condições estressantes tem um efeito preventivo e de recuperação, liberando das plantas toxinas acumuladas durante o período de estresse.

Não tenho conhecimento de trabalhos feitos para avaliar diferenças na produtividade, pelo efeito da utilização de nutrientes complexados ou quelatizados com aminoácidos, mas sabe-se que o aproveitamento dos nutrientes aplicados desta forma é bem maior, devido ao aumento da velocidade de absorção.

Esses produtos trazem benefícios às plantas, contribuindo para o aumento de resistências adquiridas, aumento da resistência a estresses bióticos e abióticos, melhora do teor de açucares e proteínas, otimização do florescimento e pegamento dos frutos, assim como qualidade dos frutos e grãos.

 

Fonte: Fonte: Revista Campo e Negócios Grãos - Outubro 2016 - Autor: Guilherme Augusto Canella Gomes